a propósito da geografia da felicidade

Todos nós temos desejos, ambições e desafios que podem ser definidos como o mundo que queremos abraçar.

Imagine os seus desejos como um balão insuflável e que está dentro dele. Poderá ser sempre mais ou menos ambicioso enchendo ou esvaziando esse balão que será o seu mundo possível. É o mundo que ainda não sabe dominar. Agora imagine um outro balão insuflável dentro do seu mundo possível, e portanto menor, e que representa a sua base. É o mundo que já domina, graças aos seus conhecimentos, inteligência emocional e experiência. Nessa analogia, felicidade seria a distância entre esses dois balões - o balão que pretende dominar e o que domina. Se a distância entre os dois for excessiva, dará lugar a frustração e ansiedade. Se a distância for mínima, ficará tranquilo, calmo, mas talvez aborrecido e sem espaço para crescer. Ser feliz é achar a distância certa entre o que se tem e o que se quer ter.

O primeiro passo é definir correctamente o tamanho do nosso sonho, da nossa ambição. Todos nós temos limitações e devemos sonhar de acordo com elas. O segundo passo é saber exactamente qual o nosso nível de competências, sem arrogância. O terceiro é encontrar o ponto de equilíbrio entre esses dois mundos. Saber administrar a distância entre os desejos e as competências é o grande segredo da vida. Devemos escolher uma distância nem exagerada demais nem tacanha demais. Se a nossa ambição não for acompanhada da devida competência, ficaremos frustrados. Curiosamente, à medida que a distância entre os sonhos e as competências diminui pela via do nosso próprio sucesso, podemos sentir infelicidade.

Esta definição explica por que é que a felicidade é tão efémera. Ela é um processo, e não um lugar onde finalmente se faz nada. Fazer nada no paraíso não traz felicidade, apesar de ser o sonho de quase todas as pessoas. Felicidade é uma desconfortável tensão entre as nossas ambições e as nossas competências. Se estiver stressado, tente primeiro esvaziar o balão de ambições para algo mais realista. Ou então encha mais o balão de competências estudando, observando e aprendendo com os outros, todos os dias. Reduzir as ambições não é nenhuma derrota pessoal. Felicidade não é um estado que se alcança, um nirvana, mas uma dinâmica contínua. É chegar lá, e não estar lá como muitos erradamente pensam. Seja ambicioso dentro dos limites, estude e observe sempre, amplie seus sonhos quando puder, reduza suas ambições quando as circunstâncias exigirem. Mantenha sempre uma meta a alcançar em todas as etapas da vida e será muito mais feliz.

Share/Bookmark

2 comentários:

Hanah disse...

Lindo !!!!

Obrigado por esse dia...

As vezes, quando estamos perdidos, entre a "felicidade" e a "infelicidade" não conseguimos amalgamar tudo o que você disse numa coisa só...

é o eterno caminho do meio que com suas palavras, fica mais fácil traçar...

beijos

p.s: Feliz Blog day para ti...

TCHI de Tchivinguiro disse...

Viver, passo a passo, com pequenos passos, os passos possíveis, os passos que conduzam pelo caminho da felicidade.